LIVROS E LIVROS

Ficção

Oswaldo de Camargo - Oboé
Oboé, o texto, o instrumento. Oboé, o escritor Oswaldo de Camargo. Oboé, a maestria da voz, inscrita na letra. Oboé, uma oferenda, uma pérola literária encantatória que o escritor oferece a nossos olhares e à nossa escuta. Oswaldo de Camargo é um escritor de múltiplas letras, íntimo da escrita, íntimo da música. Romancista, contista, poeta, jornalista, historiador literário, ensaísta. E é também pianista e organista. Em sua vasta obra, ao longo de mais de cinquenta anos, tem oferecido aportes signifi...

Poesia

Jussara Santos - Samba de Santos
Para além de suas características biológicas, o corpo da mulher negra é marcado por noções – imposições – ideológicas, de raça, classe e de gênero. Tais pressupostos acabam por fornecer eco à doxa “branca para casar, preta para trabalhar e a mulata para fornicar”; ao passo que são metamorfoseados (e, por conseguinte naturalizados) em “gosto” no que tange às relações interpessoais, além de camuflar um padrão estético eurocentrado e corroborar para o sentimento de solidão da afr...

Ensaio

Rafael Balseiro Zin - Maria Firmina dos Reis: a trajetória intelectual de uma escritora afrodescendente no Brasil oitocentista
O presente livro, caro leitor, está estruturado em torno de dois encontros que imprimem significados e valores que poderão agraciar a sua leitura. O primeiro deles se deu a partir do contato de Rafael Balseiro Zin com os escritos de Maria Firmina dos Reis, ainda em seus anos de graduação. Após ter investigado a trajetória de vida e o paradigma ideológico do advogado abolicionista Luiz Gonzaga Pinto da Gama, que publicou suas Primeiras trovas burlescas de Getulino no mesmo ano em que a maranhense trouxe a lume o romance Úrsu...

Infantojuvenil

Ana Fátima - As tranças de minha mãe
Resultado de imagem para as tranças de minha mãe ana fátima Sou leitora atenta da escritora Ana Fátima. Acompanho seu caminho pela poesia, contos, ensaios e mais recentemente, o embrenhar-se pela produção destinada a crianças e jovens, tão cara e necessária para as gerações que nos sucedem, carentes que são de narrativas que apresente o povo negro de forma digna e positiva. Fazemos parte de uma geração, ainda que eu anteceda a de Odara, (como assinava anteriormente Ana Fátima) que não chegou a alcançar, pelo menos não na infância, histórias que apresentassem...