A premiada escritora negra, Conceição Evaristo, entrega carta de autoapresentação e confirma sua candidatura à Academia Brasileira de Letras (ABL), nesta segunda-feira, 18 de junho de 2018.

Após a criação de uma petição online em apoio à eleição da autora, a ideia repercutiu na internet, recebendo grande apoio da população e destaque na mídia. A petição, que já ultrapassa 20 mil assinaturas, reivindica a ocupação da cadeira número 7 da ABL. O lugar está vago desde a morte de Nelson Pereira dos Santos.

Em carta entregue à ABL, no Rio de Janeiro, a escritora afirma: “assinalo o meu desejo e minha disposição de diálogo e espero por essa oportunidade”.

Conceição Evaristo é uma das mais reconhecidas autoras negras do Brasil. A escritora nasceu e viveu até a década de 1970 na favela do Pindura Saia, região em que hoje está localizada a parte alta da Avenida Afonso Pena, em Belo Horizonte. Em busca de melhores condições de vida, Evaristo mudou-se para o Rio de Janeiro, onde fez mestrado, doutorado e se tornou escritora e professora universitária. Recebeu, em 2017, o Prêmio Governo de Minas Gerais pelo conjunto de sua obra. Conquistou o Prêmio Jabuti, em 2015, com Olhos d’água. É autora do romance Ponciá Vicêncio (2003), de Becos da Memória (2006), Insubmissas lágrimas de mulheres (2011), Olhos d’água (2014) e Histórias de leves enganos e parecenças (2016), entre outros escritos.


LIVROS E LIVROS

Ficção

Miriam Alves - Maréia
A escrita de resistência de Miriam Alves sempre teve como projeto a afirmação da cultura, dos saberes e de toda uma memória negra abafada pelo processo de colonização. Desde os primeiros passos de sua carreira, a autora marca presença na literatura afro-brasileira com sua voz potente na poesia, na ficção e na reflexão crítica. E sempre em consonância com o propósito afirmativo da negritude. Em 2019, nos apresenta Maréia – romance centrado no resgate de vozes ancestrais por muito tempo silenciadas, mas vivas nas várias linhagens da família negra que c...

Poesia

Maria Firmina dos Reis - Cantos à beira-mar e Gupeva
Durante as atividades da 11° edição da Feira do Livro de São Luís (FeLis), que homenageou Maria Firmina dos Reis (1822-1917), foi realizado o lançamento da nova edição de duas obras desta escritora, o conto indianista Gupeva e o livro de poesias Cantos à beira-mar, ambos na mesma edição, que contou com a organização de Dilercy Aragão Adler, presidente da Academia Ludovicense de Letras (ALL), e Oswaldo Gomes, membro fundador do Instituto Histórico e Geográfi...

Ensaio

Rodrigo Machado (Org.) - Panorama da literatura negra ibero-americana
Os campos do discurso e da ciência são marcados por conflitos atrelados a relações de poder, como já constataram amplamente os estudos voltados para a análise do discurso. Nesse sentido, a epistemologia pode ser usada como um instrumento ideológico que mascara, suprime ou deturpa determinados segmentos que sejam contrários ao interesse sobre o qual o “sujeito hegemônico” está vinculado. Apesar do cunho notoriamente político da afirmação anterior, tal procedimento de apagamen...

Infantojuvenil

AroldoMacedo e Oswaldo Faustino - Luana
Considerada por muitos a primeira heroína negra das histórias em quadrinhos brasileiras, Luana, garotinha de oito anos, capoeirista e descendente de quilombolas, faz o protagonismo feminino e negro tornar-se presente também na literatura voltada para crianças e adolescentes. Produto da criatividade dos autores Aroldo Macedo e Oswaldo Faustino, Luana é uma menina que gosta de estuda...

Memorialismo

Vários Autores - Memorialismo e resistência: estudos sobre Carolina Maria de JesusCarolina Maria de Jesus na Academia   Constância Lima Duarte*    15 DE JULHO DE 1955 Aniversário de minha filha Vera Eunice.Eu pretendia comprarum par de sapatos para ela.Mas o custodos gêneros alimentíciosnos impedea realização de nossos desejos.Atualmente somos escravosdo custo de vida.Eu achei um par de sapatosno lixo,lavei, e remendeipara ela calçar.  Eu não tinha um tostãopara comprar pão.Então eu lavei 3 litrose troquei com o Arnaldo.Ele ficou com os litrose deu-me pão.Fui receber o dinheiro do papel.Recebi 65 cruzeiros.Comprei 20 de carne,1 quilo de toucinhoe 1 quilo de açúcare seis ...

Newsletter

Cadastre aqui seu e-mail para receber periodicamente nossa newsletter e ficar sempre ciente das novidades.

 

Instagram

 

YouTube