LIVROS E LIVROS

Ficção

Elisa Pereira - Sem fantasia
Quando tristeza e medo perduram por longo tempo, tal estado é melancólico(HIPPOCRATES, 1995)   A escrita de Elisa Pereira é arrebatante e em sua estreia na literatura brinda a seus leitores com uma poesia que deixa marcas na pele, na alma e na consciência. A escritora embrenha-se na narrativa em sua mais recente publicação, o livro Sem fantasia. Este traz Histórias necessárias e urgentes que são convertidas em estórias. Por meio de uma escrita apurada e impactante, ...

Poesia

Jarid Arraes (Org.) – Poetas negras brasileiras: uma antologia
desistir é coragem difícil somos programados para tentar   deslizando aos barrancos a pele das pernas esfolada os pulsos marcados pelos rosários   é preferível morrer sorrateiramente em gorduras açúcares refluxos pedras nos órgãos no peito   mas desistir essa é uma coragem que todos não temos   Jarid Arraes “Fábula” 2021 Esta antologia é aberta pelo emblemático poema “Vozes-mulheres”, de Conceição Evaristo. Nesse poema aparecem vozes de mulheres de diferentes gerações (bisa...

Ensaio

Beatriz Nascimento - Todas as distâncias
Um retratoUm retrato,Um espelho.Um rosto,Um outro rosto.Quantas faces de si em si mesma? (Beatriz Nascimento, p. 36).   O livro Todas [as] distâncias: poemas, aforismos, e ensaios de Beatriz Nascimento, organizado por Alex Ratts e Bethânia Gomes, é uma importante publicação, lançada pela editora Ogum's Toques Negros em 2015, por reunir escritos de Beatriz Nascimento. Ela, “mulher, negra, nordestina, migrante, professora, historiadora, poe...

Infantojuvenil

Geni Guimarães - O Pênalti
  Cheguei pertinho do meu irmão. Abracei-o. Beijei-o. Achei pouco, tomei-o nos braços e levantei-o o mais alto que pude, mostrando o herói para quem quisesse, como eu, vê-lo, tocá-lo, aplaudi-lo. Geni Guimarães 2020    Em 1994, a Seleção Brasileira de Futebol disputava, sob nervos aflitos de milhões de brasileiros, a 15ª Copa do Mundo, sediada nos Estados Unidos, em que buscava conquistar, com mais perseverança do que genialidade técnica, seu tetra-título. Fazendo jus ao dito popular de que “Deus é brasileiro”, R...

Memória

Carolina Maria de Jesus - Meu sonho é escrever Carolina Maria de Jesus: Meu sonho é escrever Os resíduos da escritora no tempo   Lorena Barbosa* Nos berços de Sacramento-MG, no ano de 1914, nascia uma escritora improvável[1], que anos mais tarde viria a se tornar um dos nomes mais instigantes da literatura afro-brasileira, Carolina Maria de Jesus. Autora de obras como Quarto de Despejo: Diário de uma favelada (1960), que lhe rendeu a fama, com milhares de exemplares vendidos e traduzido para 14 línguas, Casa de Alvenaria (1961), Pedaços da Fome (1963), Provérbios (1963), Diário de Bitita (1986), entre outros, ela levou sempre consigo o ...

Newsletter

Cadastre aqui seu e-mail para receber periodicamente nossa newsletter e ficar sempre ciente das novidades.

 

Instagram

 

YouTube