Conceição Evaristo é vencedora do Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura

A escritora venceu na categoria Conjunto da Obra e é a primeira escritora negra a receber o prêmio desde que ele foi criado, em 2007. “Estou muito feliz e emocionada com o prêmio que vem da minha terra. Ontem foi meu aniversário. É mesmo um presentão”, afirmou Conceição Evaristo. Conceição nasceu em 29 de novembro de 1946. A data da cerimônia de entrega do prêmio ainda não foi confirmada.

Autora de uma obra extensa, que inclui prosa e poesia, sua literatura é marcada, dentre outros aspectos, por denunciar as condições precárias da vida da mulher negra no Brasil. Suas principais publicações são: Ponciá Vicêncio (2003), Becos da Memória (2006), Poemas da recordação e outros movimentos (2008), Insubmissas lágrimas de mulheres (2011), Olhos d'água (2014) e Histórias de leves enganos e presenças (2016).

Nascida no morro do Pindura Saia, comunidade que existiu no alto da Avenida Afonso Pena, na região Centro-sul de Belo Horizonte, a escritora Conceição Evaristo foi para o Rio de Janeiro estudar na década de 1970. Foi lá que construiu a carreira como professora e escritora, mas daqui ela levou as histórias e a oralidade da família, aspectos que marcam sua obra. Evaristo começou sua carreira publicando em Cadernos Negros, em 1991, embora na ocasião a autora houvesse escrito Becos da memória, o qual mantinha guardado. 

Leia mais sobre Conceição Evaristo

 


LIVROS E LIVROS

Ficção

Nei Lopes - A Lua Triste Descamba
O samba e o subúrbio do Rio de Janeiro são os principais personagens do romance A Lua Triste Descamba (2012), de Nei Lopes. Uma viagem pelo universo do samba durante a primeira metade do século XX é o que o autor carioca nos propõe. O título do livro é retirado de um samba de autoria de Dona Zica, célebre sambista casada com Cartola. A estrofe em que se encontra o verso “A lua triste descamba” constitui, inclusive, a epígrafe da obra: “Lá vem a aurora rompendo/ E a lua triste descamba/ Ela vai com sau...

Poesia

Abelardo Rodrigues - Atlântica dor - poemas 1979-2014
                                      Noite afora, noite adentro                                                                          O grito                                     em ressacas de mar                                     e as vozes de sal                                     emergidos                                      das entranhas marítimas:                                     são dores impronunciáveis                                     adentrando...

Ensaio

Édimo de Almeida Pereira - Metamorfoses do abutre: a diversidade como eixo na poética de Adão Ventura
Neste ano de 2014 completam-se dez anos da ausência de Adão Ventura, falecido em 12 de junho de 2004, cuja obra deixou suas marcas na a poesia brasileira contemporânea. Não obstante isso, sua obra não foi, até bem pouco tempo, objeto de estudos que a analisassem a partir de um eixo, senão pela apreensão de alguma das suas faces. Em busca de uma análise mais sistematizada e transversal, o pesquisador Édimo de Almeida Pereira publicou Metamorfoses do abutre: a diversidade como eixo na poética de Adão Ventura. O livro não ...

Infantojuvenil

Nilma Lino Gomes - Betina - Cabelo corpo e identidade
O gosto de Nilma Lino Gomes por ouvir e contar histórias é um traço herdado de sua mãe e presente em sua vida desde a infância. Ao tornar-se professora, interessou-se pela cultura negra no Brasil e em África a partir de trabalhos relacionados à origem das práticas da oralidade. Em sua trajetória conheceu pessoas que lutam e ensinam a lutar por uma sociedade mais igualitária e valorizam a cultura afro-brasileira. Inspirada pelos ensinamentos de sua mãe, Nilma p...

Memorialismo

Carolina Maria de Jesus - Meu sonho é escrever Carolina Maria de Jesus: Meu sonho é escrever Os resíduos da escritora no tempo   Lorena Barbosa* Nos berços de Sacramento-MG, no ano de 1914, nascia uma escritora improvável[1], que anos mais tarde viria a se tornar um dos nomes mais instigantes da literatura afro-brasileira, Carolina Maria de Jesus. Autora de obras como Quarto de Despejo: Diário de uma favelada (1960), que lhe rendeu a fama, com milhares de exemplares vendidos e traduzido para 14 línguas, Casa de Alvenaria (1961), Pedaços da Fome (1963), Provérbios (1963), Diário de Bitita (1986), entre outros, ela levou sempre consigo o ...

Newsletter

Cadastre aqui seu e-mail para receber periodicamente nossa newsletter e ficar sempre ciente das novidades.

 

Instagram

 

YouTube