O romantismo alemão é um dos temas abordados na obra

Temas como a ironia romântica, a teoria do romance, o fragmento romântico, a dialética entre o clássico e o romântico são abordados no novo livro A invenção da modernidade literária. Friedrich Schlegel e o romantismo alemão, do professor da Faculdade de Letras (Fale), Constantino Luz de Medeiros.

Na apresentação do livro, Roberto Acízelo de Souza, estudioso das áreas de teoria da literatura e literatura brasileira, salienta a proposta fundamental da obra para os estudos literários: “conceber os estudos literários como confluência entre história, crítica e teoria não só constitui um dos núcleos temáticos do estudo de Constantino Luz de Medeiros sobre Schlegel e a revolução modernizante promovida pelo Romantismo alemão, mas, sobretudo, inscreve-se na própria estruturação da obra”, explica.

Márcio Seligmann-Silva, tradutor, teórico e crítico literário, afirma que: “Não seria ousado ver nessas ideias e nesses pensadores o germe de nossa antropofagia modernista, irônica, devoradora e apropriadora do “outro” como meio de (des) construção do próprio, como demonstra esse passeio pelo mundo oscilante do Primeiro Romantismo que Constantino Medeiros nos descortina aqui com rigor e segurança”.

A invenção da modernidade literária trata, também, o surgimento e a reconfiguração dos discursos modernos sobre a teoria, a crítica e a história da literatura, no Primeiro Romantismo Alemão. Para adquirir a obra, basta acessar o site da Editora Iluminuras.


FaLang translation system by Faboba

cenex    CEFALE 

PÓS-GRADUAÇÃO