DADOS BIOGRÁFICOS

Luiz Carlos Amaral Gomes, pseudônimo Ele Semog, nasceu em Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, em 07 de dezembro de 1952. É formado em Análise de Sistemas, com especialização em Administração de Empresas pela PUC do Rio de Janeiro. No contexto de efervescência cultural e política que propiciou o ressurgimento do movimento negro a partir de fins da década de 1970, participou dos grupos “Garra Suburbana” e “Bate-Boca”, voltados para o estudo e a produção da poesia afrodescendente. Em 1977, integra as antologias Incidente normal e Ebulição da escrivatura, esta última publicada pela Editora Civilização Brasileira. Em 1978, lança o volume de poemas O arco-íris negro, em co-autoria com José Carlos Limeira. A parceria se repete no ano seguinte, com a publicação de Atabaques, livro onde se mantém o discurso de afirmação identitária e de denúncia da desigualdade social.

Em 1984, fundou o grupo Negrícia – Poesia e Arte de Criolo. Ativista e agitador cultural, coordenou o segundo e o terceiro Encontro de Poetas e Ficcionistas Negros Brasileiros. Coordenou também o setor de literatura do projeto “90 anos de Abolição da Escravatura”, com sede no museu de Arte Moderna no Rio de Janeiro. Em 1980, recebeu da União de Escritores Brasileiros, moção especial do Prêmio Fernando Chinaglia. De acordo com Luiza Lobo (1993), Semog começa a escrever seus poemas num teor político, onde já se vê o traço urbano, humorístico crítico que desenvolve em seus livros de parceria com José Carlos Limeira. Entretanto, em seu último livro, Curetagem (poemas doloridos), a ideia da cicatrização do trauma do parto através da cicatrização do umbigo se frustra, e o poeta se vê 'como um tamarindo que todos sabiam que era azedo', atirado no real, 'navegar para mim não é preciso, sinceramente, não é', e conclui que é um 'objeto inadequado' de amor. (LOBO, 1993, 179)

Entre 1989 e 1996, foi presidente do CEAP – Centro de Articulação de Populações Marginalizadas. Foi co-fundador do jornal Maioria Falante, onde atuou até 1991. Foi Assessor do Senador Abdias Nascimento e Conselheiro Executivo do Instituto Palmares de Direitos Humanos.

 


PUBLICAÇÕES

 

Obra individual

Curetagem (poemas doloridos). Rio de Janeiro: Ed. do Autor,1987.

A cor da demanda. Rio de Janeiro: Letra Capital, 1997. (poesia).

Tudo o que está solto: poesias afro-brasileiras. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2010.

Guarda pra mim. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2015. (poesia).

Não Ficção

A intervenção dos poetas e ficcionistas negros no processo de participação política. In ALVES, Míriam, SILVA, Luiz (Cuti) e XAVIER, Arnaldo (Org.) Criação crioula, nu elefante branco. São Paulo: Secretaria de Estado da Cultura, 1987.

Abdias Nascimento: o griot e as muralhas. Coautoria Abdias do Nascimento. Rio de Janeiro: Pallas, 2006.

Coautoria

O arco-íris negro. Coautoria José Carlos Limeira. Rio de Janeiro: Ed. dos Autores, 1978. (poemas).

Atabaques. Coautoria José Carlos Limeira. Rio de Janeiro: Ed. dos Autores, 1979. (poemas).

Antologias

Incidente Normal. Rio de Janeiro: Grupo Garra Suburbana, Ed. dos autores, 1977.

Ebulição da Escrivatura. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 1978.

Cartões e postares de poesia. Rio de Janeiro: Grupo Bate-Boca de Poesia, 1980.

Cadernos Negros 3. Org. Cuti. São Paulo: Ed. dos autores, 1980. (poesia).

Cadernos Negros 4. Org. Cuti. São Paulo: Ed. dos autores, 1981. (conto).

Axé – antologia da poesia negra contemporânea. Org. Paulo Colina. São Paulo: Ed. Global, 1982.

Cadernos Negros 6. Org. Quilombhoje. São Paulo: Ed. dos Autores, 1983. (conto).

Cadernos Negros 7. Org. Quilombhoje. São Paulo: Ed. dos Autores, 1984. (poesia).

Cadernos Negros 8. Org. Quilombhoje. São Paulo: Ed. dos Autores, 1985. (conto).

A Razão da Chama: antologia de poetas negros brasileiros. Org. Oswaldo de Camargo. São Paulo: GRD, 1986.

Cadernos Negros 9. Org. Quilombhoje. São Paulo: Ed. dos Autores, 1986. (poesia).

Cadernos Negros 10. Org. Quilombhoje. São Paulo: Ed. dos Autores, 1987. (conto).

Pau de Sebo - Coletânea de Poesia Negra. Org. Júlia Duboc. São Paulo: Ed. Projeto Memória da Cidade, Cadeira de História E.E.P.G. Tiradentes, 1988.

Revista Tempo Brasileiro 92/93: O Negro e a Abolição. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1988.

Schwarze Poesie – Poesia Negra. Org. Moema Parente Augel. St. Gallen/Köln/São Paulo: Edition diá, 1988.

Cadernos Negros 12. Org. Quilombhoje. São Paulo: Ed. dos Autores, 1989. (conto).

Ad libitum Sammlung Zerstreeng 17. Berlin: Ed. Volk und Welt, 1990.

Poesia negra brasileira: antologia. Org. Zilá Bernd. Porto Alegre: AGE:IEL:IGEL, 1992.

Schwaarze prosa/Prosa negra. Org. Moema Parente Augel, St. Gallen; Belim;São Paulo: Edtion diá, 1993.

Amigos. São Paulo: Ed. Casa Pindahiba, 1994.

Callaloo vol. 18, number 4. The Johns Hopkins University Press, 1995.

Poema Fanzine Urbana – 10 anos. Rio de Janeiro: Ed. dos autores, 1995.

Cadernos Negros 19. Org. Esmeralda Ribeiro, Márcio Barbosa, Sônia Fátima da Conceição. São Paulo: Quilombhoje; Ed. Anita, 1996. (poesia).

Cadernos Negros 20. Org. Quilombhoje. São Paulo: Quilombhoje; Ed. Anita; Ed. Convivência, 1997. (conto).

Os Arcos e a Lira. Org. Ângela Melim, Carlos Lima e Renato Casimiro. Rio de Janeiro: Ed. Oficina de Poesia Mario Faustino, 1998.

Cadernos Negros: os melhores contos. Org. Quilombhoje. São Paulo: Quilombhoje, 1998.

Cadernos Negros: os melhores poemas. Org. Quilombhoje. São Paulo: Quilombhoje, 1998.

Revista do SEPE, Ano 2 n°s 5 e 6, novembro de 1999/abril de 2000. Rio de Janeiro: Ed. Sindicato dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro, 1999.

Santa Poesia. Org. Cleide Barcelos. Rio de Janeiro: Ed. dos autores, 2000.

Quilombo das Palavras: a literatura dos afrodescendentes. Org. Jônatas Conceição e Lindinalva Barbosa. Salvador: CEAO/UFBA, 2000.

Poema Fanzine Urbana – 15 Anos: overdose de poesia. Rio de Janeiro: Vidarte Urbana Edições, 2001.

O negro em versos. Org. Luiz Carlos dos Santos, Maria Galas e Ulisses Tavares. São Paulo: Moderna, 2005.

Cadernos Negros, três décadas. Org. Esmeralda Ribeiro e Márcio Barbosa. São Paulo: Quilombhoje-SEPPIR, 2008. (poema e conto).

Antologia de poesia afro-brasileira: 150 anos de consciência negra no Brasil. Org. Zilá Bernd. Belo Horizonte: Mazza edioções, 2011.

Literatura e afrodescendência no Brasil. Org. Eduardo de Assis Duarte. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011, vol. 3, Contemporaneidade.

 


TEXTOS

 


CRÍTICA

 


FONTES DE CONSULTA

FONSECA, Maria Nazareth Soares. Ele Semog. In: DUARTE, Eduardo de Assis (Org.). Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica. Vol. 3, Contemporaneidade. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

COLINA, Paulo (Org.) Antologia contemporânea da poesia negra brasileira. São Paulo: Global, 1982.

Cadernos negros: os melhores contos. Org. Quilombhoje. São Paulo: Quilombhoje, 1998.

LOBO, Luisa. Crítica sem juízo. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1993.

LINKS