DADOS BIOGRÁFICOS

Nasceu em Monte Azul Paulista-SP, a 10 de Outubro de 1952. É cofundador do Quilombhoje, juntamente com Cuti, Oswaldo Camargo e Paulo Colina, grupo que tem como objetivo divulgar a produção literária dos afrodescendentes e incentivar os estudos sobre a cultura e a literatura afro-brasileira. Em sua auto apresentação, no volume 2 de Cadernos Negros, declara: “sou mulato. Entendi-me como negro em São Paulo e lancei meu primeiro livro de poemas – Memória da noite – em São José dos Campos em 1978.” Acrescenta que a consciência étnica e cultural, a preocupação com “o ser, o sentir negro no mundo”, é “anterior aos poemas”. Comentando a edição dos Cadernos Negros, destaca a relação entre a heterogeneidade dos textos e o traço comum representado pela “força” com que se afirma a consciência afrodescendente: “essa unidade que somos, embora”. (1979, p. 5). Abelardo Rodrigues teve poemas seus traduzidos e publicados na Alemanha e Estados Unidos. Benedita Damasceno, em análise do livro de estréia do autor, comenta:

Em seus poemas, ele procura gritar e mostrar ao mundo sua ‘Memória da Noite’, a longa e penosa noite que foi e ainda é a história do negro no Brasil. Ele deseja retirar de si, como se opera um cancro, os complexos de inferioridade que as teorias do branco lhe incutiram, transformando sua poesia no grito de protesto contra esses preconceitos. (DAMASCENO: 1988).

Por outro lado, Rodrigues afirma em Cadernos Negros 3 sua preocupação com a forma: “acredito que o conteúdo será melhor demonstrado quando se conhecer a poesia em todas as suas formas e variações. (...) Toda poesia me interessa na medida em que por ela eu possa desenvolver o que mais me interessa, um melhor resultado de conteúdo expresso no poema”. (1980, p. 12).

 


PUBLICAÇÕES

Obra individual

Memória da noite. São José dos Campos-SP: edição do autor,1978. (poesia).

Memória da noite revisitada & outros poemas. São Paulo: edição do autor, 2013.

Atlântica dor: poemas 1979-2014. São Paulo: Córrego, 2016.

Antologias

Cadernos Negros 2. São Paulo: Quilombhoje,1979.

Cadernos Negros 3. Poemas. São Paulo: Quilombhoje, 1980.

Axé – Antologia Contemporânea de poesia negra brasileira. Organização de Paulo Colina. São Paulo: Global, 1982.

A razão da chama: antologia de poetas negros brasileiros. Organização de Oswaldo de Camargo. São Paulo: Ed. GRD, 1986.

O negro escrito. Organização de Oswaldo de Camargo. São Paulo: Secretaria de Estado da Cultura, 1987.

Schwarze poesie - Poesia negra. Organização de Moema Parente Augel St. Gallen; Köln; São Paulo: Edition Diá, 1988.

Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica. v. 3, Contemporaneidade. Organização de Eduardo de Assis Duarte. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

 


TEXTOS

 


CRÍTICA

 


FONTES DE CONSULTA

BORNHEIM, Gerd A. “O conceito de tradição”. In: BORNHEIM, Gerd et al. Cultura brasileira: tradição/contradição. Rio de Janeiro: Jorge Zahar/Funarte, 1987.

CAMARGO, Oswaldo de. Apresentação. In: RODRIGUES, Abelardo. Memória da noite, cit.

COLINA, Paulo (Org.). Axé - Antologia contemporânea da poesia negra brasileira. São Paulo: Global, 1982.

DAMASCENO, Benedita Gouveia. Poesia negra no modernismo brasileiro. Campinas: Fontes Editores, 1988. p.112-114.

DUARTE, Eduardo de Assis; OLIVEIRA, Luiz Henrique Silva de; RODRIGUES, Abelardo. In DUARTE, Eduardo de Assis. (Org.). Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica. v. 3, Contemporaneidade. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

FERREIRA, Hélio Pinto. Memória da noite. In: Memória da noite, cit.


LINKS