DADOS BIOGRÁFICOS

Carlindo Fausto Antonio é natural de Campinas-SP, onde trabalhou como professor da Rede Municipal de Ensino, atuando como "Educador Étnico" no desenvolvimento de cursos voltados para a implementação da Lei 10.639 (Ensino de História da África e das culturas africana e afro-brasileira). Nesse período, coordenou, na região sul de Campinas, o grupo de trabalho "Memória: Discutindo o Negro na Literatura Infantojuvenil”. Atualmente é professor efetivo da UNILAB - Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira e atua no curso de Letras sediado no campus de São Francisco do Conde, Bahia.

Além de graduado em Letras pela PUC-Campinas e Mestre em Ciências Sociais Aplicadas à Educação pela UNICAMP, Fausto Antonio é também, desde 2005, doutor em Letras - Teoria Literária e História da Literatura - pela mesma Instituição, com a tese Cadernos Negros: esboço de análise. Nesse trabalho, empreende a leitura crítica de um percurso de vinte sete anos de publicação coletiva de autores afro-brasileiros, que vai de 1978 a 2004, situando-a historicamente. A tese descreve e analisa as recorrências pautadas pela produção literária e pela teoria desenvolvida pelos autores presentes nos Cadernos, com o fim de ressaltar questões que constituem uma rede polifônica de adesão à cosmogonia negra e aos lugares das noções textuais da negrura.

Sua primeira publicação em livro, Fala de Pedra e Pedra, data de 1986. No ano seguinte, integrou o projeto “Artistas Plásticos pela cidade”, coordenado pelo Museu de Arte Contemporânea de Campinas. Em 1988, participou da Exposição de Poesia Concreta realizada na PUC-Campinas e na UNICAMP. Em 1989, divulgou textos seus na Exposição “Gestos e Manifestos – Poesia concreta”, que teve lugar no Museu de Arte Contemporânea da cidade. Em 1991, vem a público seu segundo livro, Linhagem de pedra e outra pessoa, em que o poeta acerta em cheio no diagnóstico do processo de perda a que está submetido o sujeito na sociedade contemporânea. É também autor do romance Exumos, de 1995, além de duas peças teatrais: De que valem os portões (1992) e Arthur Bispo do Rosário, o Rei (1995).

 

 

 

 


PUBLICAÇÕES

Obra Individual

Fala de pedra e pedra. Campinas: Selo Editorial RG. 1986. (poesia)

Linhagem de pedra e outra pessoa, Campinas: Selo Editorial RG, 1991. (poesia)

De que valem os portões. Campinas: 1992. (teatro)

Exumos. Campinas: Selo Editorial RG, 1995. (romance)

Arthur Bispo do Rosário, o Rei. Campinas: 1995. (teatro)

Vinte Anos de Prosa. Campinas: Arte Literária, 2006.

Vinte Anos de Poesia. Campinas: Arte Literária, 2006a.

Memória dos meus carvoeiros. Fortaleza: Edições UFC, 2017. (infantojuvenil)

No reino da carapinha. Fortaleza: Edições UFC, 2017. (infantojuvenil)

Não Ficção

Carnaval, Identidade Étnico-Cultural e Educação Não-Formal. (Dissertação de Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas à Educação). Campinas: UNICAMP, 1997.

Cadernos Negros: esboço de análise. (Tese de Doutorado em Teoria Literária). Campinas: UNICAMP, 2005.

Noções textuais da negrura na série Cadernos Negros. In: RIBEIRO, Esmeralda; BARBOSA, Márcio (Orgs.). Cadernos Negros. Três décadas. São Paulo. Quilombhoje / SEPPIR, 2008.

Antologias

Cadernos Negros 20. Org. Quilombhoje. São Paulo: Quilombhoje, 1997.

Cadernos Negros 23. Org. Esmeralda Ribeiro e Márcio Barbosa. São Paulo: Quilombhoje, 2000.

Cadernos Negros 24. Org. Esmeralda Ribeiro e Márcio Barbosa. São Paulo: Quilombhoje, 2001.

Cadernos Negros 27. Org. Esmeralda Ribeiro e Márcio Barbosa. São Paulo: Quilombhoje, 2004.

Cadernos Negros 28. Org. Esmeralda Ribeiro e Márcio Barbosa. São Paulo. Quilombhoje, 2005.

Cadernos Negros 30. Org. Esmeralda Ribeiro e Márcio Barbosa. São Paulo. Quilombhoje, 2007.

Cadernos Negros 31. Org. Esmeralda Ribeiro e Márcio Barbosa. São Paulo. Quilombhoje, 2008.

Cadernos Negros 32. Org. Esmeralda Ribeiro e Márcio Barbosa. São Paulo. Quilombhoje, 2009.

Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica. Vol. 3, Contemporaneidade. Organização de Eduardo de Assis Duarte. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

 


TEXTOS

 


CRÍTICA

 


FONTES DE CONSULTA

ANTONIO, Carlindo Fausto. Cadernos Negros: esboço de análise. Tese (Doutorado em Teoria Literária) – Instituto de Estudos da Linguagem, UNICAMP, Campinas. 2005.

BASTOS, Maria Beatriz. Fausto Antonio. In: DUARTE, Eduardo de Assis (Org.) Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica. Vol. 3, Contemporaneidade. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

________. Carnaval, Identidade Étnico-Cultural e Educação Não-Formal. Universidade Estadual de Campinas.

_________. Noções textuais da negrura na série Cadernos Negros. In: RIBEIRO, Esmeralda; BARBOSA, Márcio. Cadernos Negros. Três décadas. São Paulo. Quilombhoje /SEPPIR, 2008.

COELHO, Nelly Novaes. A palavra em busca do absoluto inaugural do ser. Prefácio a Vinte anos de prosa, cit.

Poetas e Escritores Campineiros. (http://nossosarau.blogspot.com/2007_11_01_archive.html)

 


LINKS