Carolina Maria de Jesus

1 de novembro de 1958

Dêixei o lêito as 5 e 44. E fui carregar agua. Não havia fila.

Mandei o João comprar 10 de pão e Fiz café. O João e o José Carlos sairam comigo. Fui no Frigorifico Incapre pegar os ossos. Depôis fui na Pedacha. Não ganhei porque já havia acabado. Depôis fui no deposito de ferro vender uns ferros. Ganhei 23. Passei na padaria guine a Dona Madalena deu-me bananas pão docê 15 paes docê. Pedaços de queijo presunto, e salame. Fiquei contente. Achei um saco de fuba no lixo e trouxe para dar ao porco. Eu ja estou tao habituada com as latas de lixo que não sei passar por elas sem ver o que ha dentro.

Hoje eu não fui catar papel porquê sei que não vou encontrar nada. Tem um velho que circula na minha frente. Hontem eu li aque fabula da rã e a vaca

Tenho a impressão que sou rã. Que queria crescer ate ficar do tamanho da vaca – Eu desêjei varios empregos. Não acêitaram-me por causa da minha linguagem poetica. porisso eu não gosto de conversar com ninguém.

Hoje eu fu pidir esmola.

(Meu estranho diário, p. 33, 38).