Diretores da FALE (desde 1969)

 

Luiz Francisco Dias - 2010 a 2014

Nascido em Salinas (MG), em 1961, licenciou-se em Letras pela Universidade Federal de Viçosa (MG) em 1985, e defendeu tese de doutorado na UNICAMP (SP) em 1995. Atuou durante 17 anos na Universidade Federal da Paraíba, onde criou o Programa de Pós-graduação em Linguagem e Ensino. Ingressou na UFMG em 2002, ocupando o cargo de Coordenador do Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos, de 2007 a 2009, antes de assumir a Direção da Faculdade. Exerceu o cargo de Secretário-executivo da Associação Brasileira de Linguística (ABRALIN) entre 2005 e 2007 e atuou como membro titular do Conselho da Associação Nacional de Pós-graduação em Letras e Linguística (ANPOLL), no período de 2006 a 2010. Como Diretor da Unidade, criou o Centro de Memória da FALE e promoveu a criação do Programa de Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS). É pesquisador bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ).

Vice-Diretora: Sandra Maria Gualberto Braga Bianchet

 

Jacyntho José Lins Brandão - 2006 a 2010

Nasceu em Rio Espera (MG), em 1952. Ainda criança, mudou-se para Belo Horizonte. Graduou-se em Letras pela FALE (1977) e doutorou-se em Letras Clássicas pela Universidade de São Paulo (1992). Foi por duas vezes Diretor da Faculdade de Letras. No intervalo entre um exercício e outro foi Vice-Reitor da Universidade Federal de Minas Gerais (1994-1998). Atualmente é Professor Titular de Língua e Literatura Grega. Foi Professor Visitante na Universidade de Aveiro (Portugal, 1998-1999) e na Universidad Nacional del Sur (Bahía Blanca, Argentina, 2001), bem como Directeur d'Études Invité na École des Hautes Études en Sciences Sociales (Paris, França, 2001). Seus principais trabalhos são na área de literatura grega, com as obras A poética do hipocentauro, A invenção do romance e Antiga Musa, e de língua grega, com a obra Helleniká: introdução ao grego antigo. Sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos (SBEC), exerceu os cargos de Presidente (1991-1993), Secretário Geral (1985-1987) e Tesoureiro (2004-2005); presidente emérito do Comitê Brasileiro para a Reunificação das Esculturas do Partenon, fundado em 25 de março de 2006 promoveu os estudos clássicos dentro e fora do país. Como escritor, publicou dois romances: Relicário O fosso de Babel, além da peça de teatro Que venha a Senhora Dona, primeiro lugar no Concurso da Fundação Clóvis Salgado, 1981. Traduziu Luciano e Píndaro, entre muitos dos antigos, e François Hartog, entre muitos dos modernos.

Vice-Diretor: Wander Emediato de Souza

 

Eliana Amarante de Mendonça Mendes - 1998 a 2002 e 2002 a 2006

Nascida em Belo Horizonte (MG), graduou-se em Letras Português/Alemão pela Faculdade de Letras (FALE) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 1973. Doutora em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (1991), concluiu o pós-doutorado na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2009. Docente da FALE∕UFMG desde 1974, atuou como professora de Língua Alemã (1974-1993) e vem atuando, desde 1993, na área de Língua Portuguesa, vinculada à Graduação e ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos (PosLin). Professora Titular desde 2011, integra as linhas de pesquisa “Análise do Discurso e Textualidade” e “Textualização em Língua Portuguesa” do PosLin. Ao longo de sua trajetória, já desempenhou diversas funções acadêmicas e administrativas na FALE, responsabilizando-se por diversas Coordenações (Laboratório de Tradução, 1983-1985; Curso de Português para Estrangeiros do CENEX, 1996 etc.), respondendo por Chefias de Departamento (de Línguas Anglo-Germânicas, 1991-1993; de Línguas Vernáculas, 1995-1996) e exercendo o cargo de Diretora por dois mandatos consecutivos.

Vice-Diretora: Veronika D.E.B. Benn-Ibler

 

Rosângela Borges Lima - 1994 a 1998

Nascida em Paracatu (MG), em 1954, graduou-se em Letras - Português pela Universidade Federal de Minas Gerais em 1977. A partir desse ano, passou a exercer o magistério na Sociedade Educacional Champagnat (1977-1979), no Colégio Pio XII (1980-1981) e na Escola Estadual Romualdo José da Costa (1981-1984). Em 1984, obteve o grau de Mestre pela Universidade Federal de Minas Gerais, e, em 2003, o grau de Doutor pela mesma Universidade. De 1984 a 2003 pertenceu ao corpo docente da Faculdade de Letras da UFMG, tendo se aposentado na classe de Professor Adjunto. Atuou, também, de 1990 a 2008, como professora de Língua Portuguesa do Curso de Especialização latu senso da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Durante sua carreira no magistério superior, na Faculdade de Letras, foi Coordenadora do Núcleo de Pesquisa de Língua Portuguesa (1987-1990), Coordenadora do Setor de Língua Portuguesa (1987-1990), Chefe do Departamento de Letras Vernáculas (1993-1994) e Diretora da Faculdade de Letras. Atualmente, exerce os cargos de Professora da Faculdade CECAP, no Paranoá-DF, e Revisora da Coordenadoria Acadêmica do CESPE-UnB, também em Brasília.

Vice-Diretora: Prosolina Alves Marra

 

Jacyntho José Lins Brandão - 1990 a 1994

Nasceu em Rio Espera (MG), em 1952. Ainda criança, mudou-se para Belo Horizonte. Graduou-se em Letras pela FALE (1977) e doutorou-se em Letras Clássicas pela Universidade de São Paulo (1992). Foi por duas vezes Diretor da Faculdade de Letras. No intervalo entre um exercício e outro foi Vice-Reitor da Universidade Federal de Minas Gerais (1994-1998). Atualmente é Professor Titular de Língua e Literatura Grega. Foi Professor Visitante na Universidade de Aveiro (Portugal, 1998-1999) e na Universidad Nacional del Sur (Bahía Blanca, Argentina, 2001), bem como Directeur d'Études Invité na École des Hautes Études en Sciences Sociales (Paris, França, 2001). Seus principais trabalhos são na área de literatura grega, com as obras A poética do hipocentauro, A invenção do romance e Antiga Musa, e de língua grega, com a obra Helleniká: introdução ao grego antigo. Sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos (SBEC), exerceu os cargos de Presidente (1991-1993), Secretário Geral (1985-1987) e Tesoureiro (2004-2005); presidente emérito do Comitê Brasileiro para a Reunificação das Esculturas do Partenon, fundado em 25 de março de 2006 promoveu os estudos clássicos dentro e fora do país. Como escritor, publicou dois romances: Relicário O fosso de Babel, além da peça de teatro Que venha a Senhora Dona, primeiro lugar no Concurso da Fundação Clóvis Salgado, 1981. Traduziu Luciano e Píndaro, entre muitos dos antigos, e François Hartog, entre muitos dos modernos.

Vice-Diretora: Maria Eneida Victor de Faria

  

Melânia Silva Aguiar - 1986 a 1990

Graduou-se no Curso de Letras Neolatinas da UFMG em 1962. Defendeu o doutorado em Literatura Brasileira também pela Faculdade de Letras da UFMG em 1973. Realizou estágio de Pós-doutorado em 1993, pela Sorbonne Nouvelle, Paris III, e em 1994, pela Universidade de Lisboa. Realizou, com sucesso, concurso para Professora Titular de Literatura Brasileira na FALE em 1991. Foi agraciada com a Medalha Santos Dumont, pelo Governo do Estado de Minas Gerais, em 1995, e com a Grande Medalha Presidente Juscelino Kubitschek, também pelo Governo do Estado de Minas Gerais, em 2009. Após a aposentadoria na UFMG, passou a desenvolver atividades de ensino e pesquisa na PUC-Minas na área de Literatura Brasileira com foco na literatura produzida em Minas Gerais.

Vice-Diretora: Maria Lúcia Brandão Freire de Mello

 

Maria da Conceição Magalhães Vaz de Melo - 1984 a 1986 

Nascida em 1939 na cidade de Belo Horizonte, formou-se em Letras Anglo-Germânicas pela antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da UFMG, predecessora da FALE, em 1962. Fez o Mestrado em Letras também na FALE em 1982, tendo complementado sua formação na “Université de Langues et Lettres”  de Grenoble, França. Participou, nos Estados Unidos, de um programa de formação de professores.  No ensino secundário, foi docente da Escola Estadual "Gov. Miltom Campos" - Belo Horizonte. Exerceu o cargo de Inspetora de Ensino Superior do Conselho Estadual de Educação. Na Faculdade de Letras da UFMG, foi docente nos cursos de Pós-graduação em Letras. Atuou como vice-diretora e, no período 1984-1986, exerceu a diretoria da Faculdade de Letras.

Vice-Diretora: Vanda de Oliveira Bittencourt

 

Johnny José Mafra - 1982 a 1984

Mineiro de Sabinópolis, o Professor Johnny fez seus estudos fundamentais no Seminário Provincial do Sagrado Coração de Jesus, em Diamantina/MG. Sua carreira acadêmica de nível superior realizou-se na própria Faculdade de Letras, onde obteve o grau de licenciado em Letras Clássicas em 1961 e o doutoramento em Latim no ano de 1971. Atuou como professor de língua e literatura latinas, de 1971 a 1996, tempo em que também desempenhou, entre outras funções administrativas, a de Chefe do Departamento Letras Clássicas e a de Diretor da Faculdade de Letras. Escreveu diversas obras sobre língua e cultura latina.

Vice-Diretora: Maria da Conceição Magalhães Vaz de Melo

 

Eunice Dutra Galéry - 1978 a 1982

Nasceu no dia 1º de abril, o que sempre lhe fez rir. Foi professora de francês na Faculdade de Letras da UFMG por muitos anos, até sua aposentadoria, em 1992. Junto com uma professora de outra Universidade mineira (UFOP), na época (fim dos anos 1980), deu novo vigor à Associação de Professores de Francês, quando esta estava um pouco esquecida. Fez seu doutorado na USP/SP: foi quando conheceu o Professor Bernard Aubert, que liderava um grupo de Francês Instrumental, do qual ela e a supracitada colega começaram a fazer parte, divulgando em Minas esta nova metodologia. A República francesa reconheceu seus esforços pela divulgação do francês em Minas e no Brasil e lhe concedeu uma importante e merecida condecoração: les Palmes Académiques. Por fim, Eunice interessou-se pela pesquisa em Análise do Discurso: foi ela quem trouxe o Professor Patrick Charaudeau e sua nova teoria Semiolinguística pela primeira vez a UFMG. Profissional de ampla inteligência nunca teve dificuldades em passar dos estudos literários para os estudos linguísticos, sabendo conjugá-los com harmonia e graça. Ressalte-se ainda, em suas pesquisas o papel central da Psicanálise. Foi ainda escritora e poeta.

Vice-Diretora: Cleonice Pais Mourão

 

Iria Maria Renault de Castro e Silva - 1974 a 1978

Belohorizontina, a Professora Iria fez seus estudos fundamentais no Ginásio Nossa Senhora de Sion e no Colégio Estadual de Minas Gerais. Sua formação de nível superior aconteceu na Faculdade de Letras, onde se graduou em Letras Neolatinas em 1961 e posteriormente alcançou a Livre Docência em 1963 também pela UFMG. Atuou como professora de língua e literatura italianas, entre 1960 e 1983, tempo em que se dedicou também a outras tarefas acadêmicas, como a pesquisa e a publicação de manuais didáticos de língua italiana.

Vice-Diretora: Maria Luiza Ramos

 

Ângela Tonelli Vaz Leão - 1969 a 1973

Nascida em Formiga (MG) em 1922. Concluiu o curso de Letras em 1949 na UFMG. Também na UFMG, defendeu tese de Livre-docente em 1959 e foi agraciada com o título de Professora Emérita desta Faculdade em 1990, onde atuou como professora e pesquisadora de 1959 a 1987. Foi fundadora e primeira Diretora da Faculdade de Letras, criada a partir da extinção do Departamento de Letras da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da UFMG. No cenário nacional, ocupou o cargo de presidente da Associação Brasileira de Linguística (ABRALIN), 2ª diretoria, gestão 1973-1975. Foi agraciada com diversos prêmios e distinções ao longo da carreira, algumas de nível nacional e internacional: Grau de Officier des Palmes Académiques, Condecoração do Governo Francês (1971); Medalha de Ouro Santos Dumont, Governo do Estado de Minas Gerais (1986); Ordem Nacional do Mérito Científico, categoria Grão Cruz, Presidência da República - Ministério da Ciência e Tecnologia (1998); Medalha Mendes Pimentel, Universidade Federal de Minas Gerais (2012). Publicou diversos livros, artigos, e capítulos de livros, com destaque para as obras voltadas para a literatura medieval, a estilística e a poesia mineira moderna. É Professora Titular da PUC-MG.

Vice-Diretor: Wilton Cardoso de Souza

 


FaLang translation system by Faboba