Em 25 de janeiro de 2019, a cidade de Brumadinho, em Minas Gerais, sofreu um desastre de grandes proporções com muitas e irreparáveis perdas ambientais, sociais e econômicas. A Barragem I de rejeitos de minério de ferro da Mina Córrego do Feijão, da empresa Vale S/A, rompeu-se, despejando grande quantidade de lama tóxica e rejeitos da ordem de 10 milhões de metros cúbicos que percorreram 310 quilômetros sobre a região (PARREIRAS, 2020). Foram registrados 270 óbitos, dois nascituros e 11 pessoas estão desaparecidas (PARREIRAS, 2020), o que torna o Brasil líder em quantidade de vítimas fatais em um desastre (BRUMADINHO, 2019). 

Nesse contexto, foi criada, em 2019, a Associação dos Familiares de Vítimas e Atingidos da Tragédia do Rompimento da Barragem Mina Córrego do Feijão Brumadinho – AVABRUM. A AVABRUM tem como uma de suas finalidades, portanto, reunir e organizar os familiares das vítimas e atingidos da tragédia crime do Rompimento da Barragem I na Mina Córrego do Feijão – Vale”, conforme estabelecido em seu Estatuto Social (AVABRUM, 2019). 

Dentre os inúmeros e significativos impactos da tragédia crime sobre a vida dos moradores da região, há os desdobramentos socioeconômicos na esfera do trabalho. Assim, é importante promover ações que viabilizem a busca por formas alternativas de obtenção de renda. A aquisição de competências digitais é uma relevante estratégia para o desenvolvimento do trabalhador e do empreendedor. Similarmente, a capacitação em línguas estrangeiras/adicionais dos familiares das vítimas é um meio viável para ampliar as possibilidades de (re)colocação dessas pessoas no mercado de trabalho, assim como para promover condições para a expansão do campo do turismo na região. 

Este projeto faz parte de uma proposta maior que tem como pano de fundo a geração de trabalho, renda e emprego na região do município de Brumadinho e demais municípios  da Bacia do Rio Paraopeba atingidos pelos impactos da tragédia. No âmbito dessa proposta, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), por meio de sua Pró-Reitoria de Extensão (Proex) e em parceria com a AVABRUM, buscará dar alguns passos com a perspectiva de fomentar a inclusão social dos moradores da região, via qualificação e capacitação dessa população em dois eixos. O Eixo 1 se refere ao desenvolvimento de noções básicas acerca das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDICs) para a inclusão produtiva. A sigla TDICs, do original em inglês Information and Communication Technology (ICT), empregada também para se referir genericamente a Tecnologias da Informação (TIs), diz respeito à integração das tecnologias comunicativas mediadas por computador e associadas às telecomunicações, via linhas telefônicas e sinal wireless, união tecnológica que é complementada por softwares que possibilitam a criação, o acesso, a gravação, a transmissão e a manipulação de informações (SANTOS, SALES, 2017). Assim, as TDICs “concentram diversas modalidades de aparatos midiáticos, os quais são socializados por intermédio de vídeos, áudios, imagens, bem como pela transmissão desses materiais por meio de conexões interligadas pela internet” (SANTOS, SALES, 2017).

Fortemente atrelada ao conceito de TDICs está a noção de “socialização”, na perspectiva de estudiosos como Clodoaldo Almeida dos Santos e Antônio Sales (2017), da tecnologia como um facilitador que vai ao encontro das demandas sociais no propósito de responder às necessidades humanas. Sob esse prisma, a partir do Eixo 1, espera-se contribuir com a formação continuada e com a inclusão digital dos cursistas/moradores de  Brumadinho e demais cidades atingidas pela tragédia, capacitando-os na utilização de TDICs no contexto profissional. Dessa forma, microempreendedores terão a oportunidade de desenvolver materiais digitais voltados para a divulgação de produtos e/ou serviços com maior facilidade e também poderão interagir com o seu público de maneira mais assertiva.

Vale ainda ressaltar que, diante do cenário de enfrentamento da pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), que implicou em novos e árduos desafios nos diversos setores da sociedade, reforçou-se ainda mais a importância do domínio das TDICs e de sua aplicação no mercado de trabalho. Nota-se, assim, a conveniência da proposta de capacitação sobre a referida temática na atual conjuntura. Além disso, as competências e habilidades adquiridas durante o curso também serão importantes para complementar o processo de ensino-aprendizagem durante e após o período de distanciamento social, ainda necessário. A proposta visa contribuir com a formação de 750 pessoas, 250 em cada turma, totalizando três turmas, a serem ofertadas de forma on-line síncrona, havendo a possibilidade de atividades on-line assíncronas.

A execução do Eixo 1 será conduzida em parceria com o Centro de Apoio à Educação a Distância - CAED/UFMG, o qual hospedará o curso no CAED Virtual — sala de aula virtual que possibilita ao estudante acompanhar as atividades do curso pela internet, a qual utiliza a plataforma Moodle, um dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA) mais empregados no mundo. O CAED é dirigido pela professora Eliane Marina Palhares Guimarães e tem ampla experiência e expertise no oferecimento de cursos de graduação, especialização, aperfeiçoamento e atualização via educação a distância. Assim, a proposta do Eixo 1 está plenamente alinhada às atividades-fim da UFMG, assim como ao compromisso social historicamente assumido pela extensão acadêmica da Instituição.

O Eixo 2 se refere ao oferecimento de cursos de línguas estrangeiras/adicionais (inglês e espanhol), que enfocam as quatro habilidades da língua, como forma de qualificação profissional e de promoção da formação de cidadãos engajados em práticas locais e globais. Esse eixo insere-se no contexto do Programa de formação de professores em línguas clássicas e modernas, vinculado ao Centro de Extensão da Faculdade de Letras (CENEX/FALE/UFMG), o qual se configura como uma ação universitária que congrega: o ensino, por meio da prática didático-pedagógica pelos discentes estagiários; a pesquisa, em virtude da possibilidade da realização, por discentes estagiários e supervisores, de estudos relacionados a ensino, aprendizagem, tradução e exames de proficiência em línguas clássicas e modernas; a extensão, pelo fato de os projetos e cursos serem abertos à comunidade interna e externa à UFMG. 

Constituem essa iniciativa os cursos de inglês e espanhol já ofertados pelo referido programa e/ou cursos a serem promovidos a partir das necessidades da comunidade em questão. Dentro do rol de cursos do CENEX-FALE, podem ser ofertados cursos em níveis Kids, Junior e Teens (cursos para crianças) e Iniciante, Básico, Pré-intermediário, Intermediário, Avançado e Curso de Leitura em Inglês (cursos para jovens e adultos), por exemplo. Durante o período de crise sanitária em razão da Covid-19, a oferta de cursos corresponde à modalidade virtual síncrona, conforme os protocolos internacionais, nacionais e institucionais.

Busca-se viabilizar o contato direto do saber gerado dentro da Universidade sobre o estudo, o ensino e a aprendizagem de línguas com a sociedade, enfocando mais especificamente a comunidade de sobreviventes e familiares de vítimas e atingidos pelo rompimento da Barragem I da Mina Córrego do Feijão. Assim, o Eixo 2 inter-relaciona dois aspectos relevantes na constituição de uma sociedade mais justa, democrática, igualitária e preparada para os desafios profissionais do mundo contemporâneo: (1) a educação linguística e discursiva dos membros da sociedade sob uma ótica de qualificação cidadã e profissional e (2) a formação de professores de línguas a partir de políticas de formação docente voltadas para as especificidades do contexto social sob uma perspectiva glocal de valorização dos aspectos culturais locais em associação com o mundo globalizado.

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais
Av. Antônio Carlos, 6627 Pampulha - Belo Horizonte/MG - CEP: 31270-901
(31) 3409-5101 dir@letras.ufmg.br

© Copyright 2022 - Setor de Tecnologia da Informação - Faculdade de Letras - UFMG