Conceição Evaristo é a primeira escritora negra a receber o prêmio desde que ele foi criado em 2007

A escritora mineira Conceição Evaristo, de 71 anos, recebeu na noite desta quinta-feira (5) o Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura 2017 pelo conjunto de sua obra. A entrega foi realizada no Teatro José Aparecido de Oliveira da Biblioteca Pública Estadual.

Conceição Evaristo nasceu e viveu até a década de 1970 na favela do Pindura Saia, no Alto da Avenida Afonso Pena. Em busca de melhores condições de vida, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde fez mestrado, doutorado e se tornou escritora e professora universitária. Embora reconhecida tardiamente, a belo-horizontina é um dos destaques da literatura brasileira contemporânea e, em seus livros, dá voz ao negro e à mulher.


LIVROS E LIVROS

Ficção

Mário Medeiros - Gosto de amora
Aquela fruta preta como a gente, doce como minha vó Dita e cheia de bolinhafeito a cara do meu irmão mais velho em nossa casa. Que meu pai dizia que o nome era feminino de amor Mário Medeiros   Após a dedicatória nas primeiras páginas de Gosto de Amora, Mário Medeiros cita como epígrafe um trecho de País sem chapéu, do escritor haitiano-canadense Dany Laferrière. No excerto, a frase “Eles estão aqui, eu sei, estão todos aqui me olhando trabalhar neste livro” (MEDEIROS, 2019, p.2) já nos dão a dimensão da escrita como lugar de memória c...

Poesia

Elisa Pereira - Memórias da pele
  Anamaria Alves Dias dos Santos*   Lançado na coleção Prazeres Poéticos pela editora Chiado Books, Memórias da pele marca a estreia em livro de Elisa Pereira, mineira de Belo Horizonte que sonha versos desde criança. A capa do volume traz um corpo negro. Quando se abre a obra de arte que guarda as lembranças, completam-se as mãos, braços, a cabeça e as costas de pele preta que expõem as marcas da realidade que a sociedade quis e quer esconder. A estratégia estética presente na capa fará com que o leitor tenha, primei...

Ensaio

Henrique Freitas - O arco e a arkhé: ensaios sobre literatura e cultura
De início, chama a atenção no presente livro de Henrique Freitas a ênfase na relação estabelecida entre literatura e cultura. Não deveríamos estranhar o destaque conferido a essa relação seminal, não fosse a crescente dissociação que se observa, em nossas experiências cotidianas, entre os fenômenos e os contextos sociais em que são gerados. Tal dissociação, justificada por uma espécie de ordem natural dos acontecimentos é, no fundo, o resultado de construções sociais cujos agentes podem ser identificados em sua atuação objet...

Infantojuvenil

Fausto Antonio - Memórias dos meus Carvoeiros
Publicados em 2017, os livros Memórias de meus carvoeiros e No reino da carapinha, da COLEÇÃO DIÁLOGOS INTEMPESTIVOS, Edições UFC, são viagens literárias para o público. A edição é engenhosa e desperta todos os sentidos dos leitores, diversão e emoção garantidas. Carlindo Fausto Antonio é autor, entre outros, do romance Exumos, das peças teatrais Arthur Bispo do Rosário, o Rei e De que valem os portões, bem como das coletâneas Vinte Anos de Prosa e Vinte Anos de Poesia. Além disso, é prese...

Memorialismo

Carolina Maria de Jesus - Meu sonho é escrever Carolina Maria de Jesus: Meu sonho é escrever Os resíduos da escritora no tempo   Lorena Barbosa* Nos berços de Sacramento-MG, no ano de 1914, nascia uma escritora improvável[1], que anos mais tarde viria a se tornar um dos nomes mais instigantes da literatura afro-brasileira, Carolina Maria de Jesus. Autora de obras como Quarto de Despejo: Diário de uma favelada (1960), que lhe rendeu a fama, com milhares de exemplares vendidos e traduzido para 14 línguas, Casa de Alvenaria (1961), Pedaços da Fome (1963), Provérbios (1963), Diário de Bitita (1986), entre outros, ela levou sempre consigo o ...

Newsletter

Cadastre aqui seu e-mail para receber periodicamente nossa newsletter e ficar sempre ciente das novidades.

 

Instagram

 

YouTube