A Editora Malê e as organizadoras Constância Lima Duarte, Luana Tolentino, Maria Lúcia Barbosa e Maria do Socorro Vieira Coelho, têm o prazer de convidar para o lançamento do mais novo livro sobre uma das pioneiras da ficção de autoria feminina no Brasil: Maria Firmina dos Reis: faces de uma percussora. Neste, estão reunidos ensaios e artigos de autores que são referência na fortuna crítica da escritora maranhense, autora do pioneiro romance Úrsula, do conto abolicionista "A escrava", do volume de poemas Cantos à beira-mar e da narrativa indianista Gupeva, todos com reedições recentes e disponíveis aos leitores. 

Úrsulalançado em 1859, inaugura uma perspectiva diferenciada quanto ao trato do problema da escravidão, assumindo o ponto de vista do Outro, tanto na representação dos escravizados, quanto no inédito enfoque das relações de dominação patriarcal. No século XIX, Maria Firmina já analisava a sociedade na perspectiva da interseccionalidade entre gênero e etnicidade, que só começaria a ser trabalhada na contemporaneidade. A autora fala do seu lugar de mulher negra na sociedade escravocrata e associa a dominação de raça à de seu sexo. Essas questões por si só justificam o resgate crítico de Maria Firmina, bem como a organização de um volume específico apresentando novas possibilidades de leitura sobre sua obra. 

Contamos com a sua presença! 

 

 

Conceição Evaristo, uma das nossas maiores escritoras contemporâneas, anuncia o lançamento do seu novo romance, Canção para ninar menino grande, na FLINK SAMPA, que acontecerá entre os dias 19 e 21 de novembro. Em  sua 6ª edição, a FLINK - Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra, terá lugar na Faculdade Zumbi dos Palmares, em São Paulo, com lançamentos e vendas de livros, quadrinhos e mangás, produtos de afro-empreendedores, além de atividades culturais para professores e estudantes de todas as idades, com palestras, debates e contações de histórias. 

Na foto ao lado, temos a capa da nova obra de Conceição, que será lançada no dia 20. Para mais informações, acesse o site: http://flinksampa.com.br

Lançamento da 10ª edição da Revista Canjerê!

A festa de lançamento da 10ª edição da Revista Canjerê acontece no dia 15 de setembro, sábado, das 16 às 19 horas, no Reinado Treze de Maio, localizado na Rua Jataí, 1309, bairro Concórdia. A programação do evento inclui diálogos entre música afro-brasileira e poesias autorais com o geógrafo, educador, poeta e escritor, Mateus de Moraes Servilha, e também apresentação do DJ Léo Olivera. A entrada é gratuita. 

A Revista Canjerê é um projeto independente que possui publicações focadas na valorização e na promoção da cultura africana e afro-brasileira. Criada em 2015, pelo Instituto Cultural Casarão das Artes, possui tiragem quadrimestral. A publicação é distribuída gratuitamente em equipamentos culturais, universidade, eventos e bibliotecas de Belo Horizonte ou pode ser acessada de forma virtual pelo próprio site da revista. Para a curadora do Casarão das Artes, Rosália Diogo, "a Revista tem sido um forte instrumento para que possamos dialogar com a sociedade sobre o legado cultural da população afro-brasileira. Em um país que tanto discrimina pessoas negras, uma proposta como essa se constitui como um contraponto às produções que visam a continuar visibilizando o legado cultural de matriz europeia! Certamente a 10ª edição trará novos conteúdos reflexivos sobre o fazer e o perceber de artistas e realizadores negr@s que estão com robustas iniciativas culturais e artísticas pelo mundo afora".

 

SOBRE A EDIÇÃO 

Nesse número, a matéria de capa traz a filósofa Djamila Ribeiro, referência na militância negra e feminista. Léa Garcia, a entrevistada da edição, fala sobre política, carreira, educação e militância. A moda da estilista Mônica Anjos é destaque da seção Comportamento. A profissional trabalha a moda com identidade. A Revista Canjerê atravessou fronteiras para contar a história da criação da marca Nubian Skin, da cidade de Londres. A empresa é conhecida por lançar coleções de lingeries Nude para mulheres negras. Destacamos também a história do angolano Augusto Prata, idealizador da TV e Rádio Diamante Angola. Você também vai conhecer a fotógrafa Marcela Bonfim, a mulher que se (re)conheceu negra na Amazônia.

 

 

Mais informações, clique aqui e acesse o site da Revista Canjerê.

Clique aqui e fique também ligado no Facebook da Revista Canjerê.

 

 

Subcategorias